quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Mesopotâmia

Você já leu algum horóscopo, desses que são publicados em jornais e revistas? Esse costume de consultar os astros é muito antigo e surgiu na Mesopotâmia - a chamada “terra entre rios” do Oriente Médio, uma das regiões mais férteis do mundo conhecido na Antiguidade.

Muitos povos dominaram a terra que fica entre os rios Tigre e Eufrates. Para estudar a história da Mesopotâmia, podemos imaginar um painel no qual as luzes acendem e apagam. Essas luzes são intermináveis guerras e conflitos entre povos com línguas e costumes diferentes. Apesar disso, a Mesopotâmia produziu uma das culturas mais antigas do mundo. Lá também surgiram os primeiros impérios do mundo antigo.

Nessa região é que têm o registro das primeiras civilizações, por volta de 4000 a.C. Neste período começa a estruturar-se o Estado, o surgimento da escrita, o desenvolvimento da economia comercial e a utilização da roda,nos veículos.Além do desenvolvimento de um complexo sistema hidráulico que favorecia a utilização dos pântanos, evitando as inundações e garantindo o armazenamento de água para os períodos de seca. O desenvolvimento propiciou o crescimento nas cidades, algumas superando o número de 10 mil habitantes. As cidades também serviam de defesa militar, centralização do poder e controle das populações.

Localização e clima

A Mesopotâmia fica no extremo oeste da Ásia. Essa região é conhecida como o Oriente Médio, que é diferente do Extremo Oriente, onde ficam a China e o Japão. Os rios Tigre e Eufrates nascem nas altas montanhas da Armênia, percorrem a Mesopotâmia e desembocam, juntos, no golfo da Pérsia. Hoje, essa região é coberta de pântanos e deserto. Antigamente, as enchentes dos rios formavam uma grande rede de canais e fertilizavam a área, tornando-a ideal para o cultivo de cereais e frutas, e para a criação de gado.

Na Antiguidade, a Mesopotâmia estava cercada de países pobres e desérticos: a Arábia ao sul, o Irã a leste, a Armênia ao norte e, ao oeste, o deserto da Síria. É por isso que todos os povos da Antiguidade quiseram ser donos daquela terra rica. É por isso, também, que a Mesopotâmia foi, durante muitos séculos, o campo de batalha entre os povos semitas e os ários.

Sumerianos e Acadianos (3500-2000 a.C.)

Os primeiros habitantes da Mesopotâmia foram tribos elamitas. Não sabemos muito sobre os elamitas. Mas sabemos que, por volta do ano 3500 a.C., eles foram dominados pelos sumérios, que se fixaram na caldéia, sul da Mesopotâmia, onde fundaram diversas cidades-estados, como Ur, Uruk,Nipur e Lagash. Cada cidade era governada por um rei sacerdote chamado de Patesi, que viviam constantemente em guerra entre si pela supremacia na região.

Os sumérios criaram o modo de vida que foi adotado pelos outros povos que conquistaram sucessivamente a Mesopotâmia. Eles eram nômades da região do Cáucaso e se fixaram no sul da Mesopotâmia. O patesi era o representante dos deuses entre os homens, assim como o papa é o representante do deus dos católicos na terra.

Quando os sumérios chegaram ao sul da Mesopotâmia, começaram a drenar os pântanos e construíram diques e canais para aproveitar a água dos rios Tigre e Eufrates. Além disso, levaram a agricultura para a Mesopotâmia. Por causa disso, a região logo se transformou no “celeiro do mundo”.

Como não havia pedras na região, os sumérios começaram a usar tijolos de barro cozido pelo sol para fazer suas casas. Foi assim que os tijolos foram inventados.

Em pouco tempo, o crescimento das cidades e o aumento da produção de cereais trouxeram a escrita. Para poder armazenar o que sobrava, os governantes precisavam saber aquilo que cada cidade plantava e colhia. E precisavam contar quantas cabras havia no pasto.

Os sumérios inventaram um tipo de escrita que é chamado de cuneiforme. Como eles não tinham matéria-prima para fazer papel, nem papiros, escreviam sobre tábuas feitas de barro. A “caneta” era um pedaço de madeira que tinha o formato de uma cunha. É por isso que a escrita deles é chamada de cuneiforme.

Por volta de 2300 a.C., invasores acadianos conquistaram a região, e seu rei, Sargão I, chamado de “soberano dos quatro cantos da terra”. Tornou-se o primeiro governante a reinar sobre todo o sul da Mesopotâmia. Contudo, nova onda de invasões estrangeiras ocorreu na região, desestruturando o Império Acadiano e possibilitando a retomada da hegemonia política dos sumérios.

O domínio sumério sobre a área não foi, contudo, duradouro: novos invasores apareceram até que os amoritas lograram dominar toda a região conseguindo fundar o Primeiro Império Babilônico.

O Primeiro Império Babilônico (2000-1750 a.C)

Depois de séculos de lutas quase ininterruptas, a Mesopotâmia, no século XVIII a.C., conheceu enfim a unidade. O rei Hamurabi da Babilônia – capital do império e um dos principais centros urbanos e políticos da Antiguidade –, além de estender as fronteiras do império desde o Golfo Pérsico até a Assíria, conseguiu unificar as cidades da Mesopotâmia e iniciou a construção de uma imensa muralha em volta da cidade de Babilônia. Além disso, ele também elaborou o primeiro código completo de leis de se tem notícia.

O Código de Hamurabi foi o primeiro código social e político da Antiguidade e era composto por centenas de leis compiladas a partir do Direito sumeriano. Dentre elas, destacava-se a Lei de Talião, que preconizava que as punições fossem idênticas ao delito cometido. O código se baseava no princípio do “olho por olho, dente por dente”. Isto é: se uma pessoa matava a mãe de outra pessoa, esta pessoa tinha o direito de matar a mãe daquela pessoa. Isso pode parecer um pouco complicado à primeira vista - mas era assim que eles faziam justiça.

Grandes migrações indo-européias (hititas e cassitas, especialmente) desorganizaram o Império Babilônico, do qual se originaram reinos menores, rivais e decadente.

O Império Assírio (1300-612 a.C.)

Os assírios eram um povo que, ante de 2500 a.C. estabelecera-se no norte da Mesopotâmia, na região de Assur.

A guerra era a sua principal atividade: pilhavam as áreas conquistadas e massacravam sua população. Durante o reinado de Sargão II, os assírios conquistaram o reino de Israel e, no de Tiglatfalasar, tomaram a cidade da Babilônia. Também Senaqueribe e Assurbanipal são personagems importantes da história assíria: o primeiro por ter transferido a capital do império de Assur para Nínive e o segundo por ter conquistado o Egito e criado a Biblioteca de Nínive.

A morte de Assurbanipal (631 a.C) e a ocorrência de revoltas internas enfraqueceram o Império assírio. A destruição veio em 612 a.C., com Nabopolassar, o qual, comandando caldeus e medos, povos vizinhos, pôs fim ao Império Assírio e inaugurou o Segundo Império Babilônico.

O Segundo Império Babilônico (612-539 a.C.)

Derrotados os assírios, a Babilônia volta a ser a capital da Mesopotâmia, agora sob domínio dos caldeus. Durante o reinado de Nabudonosor (604-561 a.C.) o Império Babilônico conheceu o apogeu. Nesse Período, a palestina foi conquistada, o povo hebreu escravizado e transferido para a Babilônia. Nabucodonosor foi ainda responsável pela construção dos “jardins suspensos da Babilônia” considerados uma das sete maravilhas do mundo antigo.

O rei Nabucodonosor expandiu o império até o Egito. Os prisioneiros das guerras de conquista eram levados para Babilônia como escravos. Dentro da cidade, foram forçados a construir as muralhas e os magníficos Jardins Suspensos.

Os sucessores de Nabucodonosor acharam que ninguém conseguiria entrar na cidade de Babilônia e começaram a relaxar a segurança. Conclusão: os persas, sob o comando do rei Ciro, dominaram a cidade de Babilônia. A Mesopotâmia tornou-se, então, mais uma província do vasto império persa.

2 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitória Oliver disse...

É interessante observar professor diante dos fatos aqui estudados durante anos para poder termos conhecimento sobre. De que a mesopotâmia foi o berço da civilização do mundo. Muitos dizem sobre a Grécia ser "o berço da civilização". Porém, diante dos fatos aqui citados percebemos apesar da tecnologia não fazer parte deste período foram povos extremamente inteligentes onde tinham noção sobre seca construíam reservas hídricas, monumentos, praticavam a agricultura, deram o primeiro passo a escrita,ao tijolo para construir casas... Costumes esses que fazem parte da nossa vida no mundo globalizado. O que me ajuda de forma plena a entender a história tentando imaginar o seus fatos de acordo com o período ao qual se encontra.