quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A origem do homem americano


A história da Brasil e da América como um todo se iniciou na Pré-história, com a chegada ao continente americano dos primeiros povoadores, os ancestrais dos povos incas, maias, astecas, tupi-guaranis, tapuias, etc., que habitavam as Américas nos séculos XV e XVI. São admitidas três hipóteses de imigração para a América: A Hipótese mais aceita de sua chegada a América é a que supõe que tenha entrado através do estreito de Bering.

Há aproximadamente cem mil anos, a Ásia e a América estiveram ligadas por uma estreita faixa gelada. Foi por este caminho, hoje desaparecido e que se transformou no Estreito de Bering, que os primeiros asiáticos teriam chegado ao nosso continente. Até hoje, não foi possível datar com segurança essas migrações, mas sabe-se que elas ocorreram entre 40 mil e 10 mil anos a.C., iniciando-se, assim, o povoamento dessa parte do planeta.

Embora essa hipótese seja a mais aceita em nossos dias, a origem real do homem americano ainda não foi definitivamente esclarecida, até porque existem diferenças importantes na estrutura das línguas primitivas faladas na América, fato que tem criado uma série de dúvidas a esse respeito.

No entanto, há quem admita que sua entrada na América tenha ocorrido pelas ilhas do oceano pacífico ou via Austrália. Vale observar, contudo, que o homem pode ter alcançado a América por vários caminhos, englobando todas as hipóteses anteriores.

Os estudos mais recentes sobre as origens do homem americano comprovam que todos os fósseis humanos até hoje encontrados na América são mais novos que os do Homem de Neandertal, quer dizer, têm menos de quarenta mil anos. Essa é a idade aproximada dos restos encontrados no Texas, Estados Unidos, considerado o mais antigo sítio arqueológico do continente.

Os fósseis brasileiros

No Brasil, os mais antigos vestígios desses povos datam do período paleolítico: sambaquis, utensílios primitivos e pinturas rupestres. O conjunto de vestígios encontrados em determinada região é chamado de sítio arqueológico, e sua análise cabe à Arqueologia, a ciência que estuda os povos pré-históricos. Através desse estudo desenvolveu-se o conhecimento do período anterior à chegada de Cabral ao Brasil, em 1500.

Sambaquis são volumosos montes de conchas e esqueletos de peixes, associados a objetos de pedra, às vezes com mais de 10 metros de altura. Distribuídos por todo o litoral brasileiro, destacadamente no sul, atestam que ali viveram grupos humanos que se alimentavam de animais marinhos há mais de 10 000 anos.

Utensílios primitivos também foram encontrados em diversos pontos do litoral e do interior do Brasil: pontas de flechas, machados e outros instrumentos, além de potes de barro, alguns decorados e usados como urna para os mortos, dentro dos quais foram achados esqueletos.

Pinturas rupestres, compostas de desenhos de figuras humanas e de animais, cenas de caça e pesca, foram encontradas nas paredes de grutas e cavernas e em lajes de pedras em lugares abertos. São famosas as pinturas rupestres de cavernas em Minas Gerais e em São Raimundo Nonato, no Piauí.

Embora, para efeitos de estudo, a Pré-história tenha terminado com o surgimento da escrita, no Brasil e em alguns outros pontos no mundo, muitos grupos indígenas têm até hoje condições primitivas de vida, semelhantes às do período paleolítico.

No século XV, época das grandes navegações, conquistadores e exploradores portugueses e espanhóis aproveitaram-se das condições primitivas dos indígenas americanos para dominá-los com facilidade. Possuidores de técnicas e armas mais eficientes,os europeus subjugaram a América (incluindo o Brasil), sujeitando-a nos séculos seguintes a uma intensa exploração econômica e ligando-a definitivamente à história européia.

3 comentários:

ingrid disse...

Parabéns professor por esse trabalho maravilhoso que o senhor tem.De dar um pouco de seus conhecimentos para as pessoas que não tem.Admirei muito o seu trabalho,adorei seu blog.

Tom Jobim disse...

Olá, professor. Estava procurando exatamente sobre isso, para prova da Fuvest deste ano. Agradeço-lhe pelo excelente post, que esclareceu muitos pontos fundamentais que até então eram obscuros.

Um abraço e sucesso.
André.

Erica Feliz disse...

Parabéns professor.
Seu blog me ajudou muito no meu trabalho escolar.
Obrigada !